EM BUSCA DOS SONHOS: COMO ECONOMIZAR DINHEIRO?

Publicado em 14/11/2018 por

Para realizar é necessário sonhar, planejar e… poupar.
Concorda?

Poupar é uma palavra curta e simples, mas formar poupança nem sempre é uma tarefa fácil, especialmente para quem tem dificuldade de pagar todas as contas no prazo. E, acredite, gastar mais do que se ganha é mais comum do que parece.

Então, como poupar uma porcentagem do salário mesmo com todas as despesas necessárias no mês? Confira 10 dicas e descubra como economizar dinheiro:

1. Controle das despesas essenciais

O primeiro passo é garantir que o valor necessário para arcar com as despesas essenciais do mês seja menor do que o salário recebido. Some todas as contas da casa: supermercado, luz, água, internet e telefone. Além disso, considere nesse cálculo os custos com entretenimento e saúde. Saber exatamente para onde vai o dinheiro é o primeiro passo para diminuir os gastos mensais.

2. Faça uma lista de itens dispensáveis

Agora é hora de avaliar quais são os pontos em que é possível economizar. Faça uma lista dos gastos em ordem de prioridade e corte — sem pena — as despesas desnecessárias. Por exemplo: a escola dos filhos é um investimento, então deve estar no topo da lista. Já as idas frequentes aos restaurantes podem ser diminuídas.

Os itens que ficarem mais para o final da lista devem ser avaliados para corte ou redução — como os gastos supérfluos. Essa é uma boa forma de começar a economizar hoje, pois a ação é simples e pode ser adotada imediatamente.

3. Pague suas contas em dia

O pagamento de contas em dia ajuda a evitar juros e multa. Esses encargos prejudicam a saúde financeira de qualquer pessoa, ainda mais levando em conta que o Brasil tem umas das taxas de juros mais altas do mundo. Se você atrasar poucos dias no pagamento do cartão de crédito ou do plano de saúde, terá de pagar uma taxa de juros realmente elevada, além da multa por atraso.

Analisando esse item superficialmente, pode parecer uma economia bem pequena, porém, se você fizer os cálculos de quanto isso pode representar ao final de um ano, vai perceber a real importância de pagar as contas em dia. Dê uma atenção especial à fatura do seu cartão de crédito e veja o Custo Efetivo Total do atraso.

4. Tenha consciência na hora das compras

Pare alguns minutos para contabilizar quantas compras desnecessárias você fez nos últimos meses. Já pensou que o valor gasto com itens de consumo que não eram realmente necessários poderia ser utilizado para investir e ganhar mais dinheiro? Não compre por impulso. Pense na real utilidade de cada bem de consumo e avalie muito bem o custo-benefício.

Siga o raciocínio: ao economizar R$ 2.000 em 1 ano e investir esse valor em uma aplicação com taxa de juros de 1,5% ao ano, você trocaria o gasto de R$ 2.000 por uma poupança de R$ 2.391,24.

5. Utilize o cartão de crédito de forma inteligente

Cartões são muito práticos, mas apresentam uma desvantagem: fazem com que você perca a noção do dinheiro gasto no dia a dia. Como é só passar o cartão, fica muito mais fácil perder o controle das pequenas despesas. Para evitar que isso aconteça, comece a pagar pequenas despesas com dinheiro.

Você ainda pode utilizar o cartão de crédito para algumas compras maiores, mas certo de que terá o dinheiro para pagar as contas integralmente na data de vencimento do cartão.

6. Comece a usar um bom aplicativo de gestão financeira

O controle de entradas e saídas de dinheiro é o meio mais fácil de saber quais são os seus maiores gastos e evitar despesas desnecessárias. Para facilitar esse controle, conte com programas como o Mobills, que organizam suas contas e são aliados na hora de poupar dinheiro.

Assim, você consegue controlar o quanto já gastou, quanto ainda sobra na conta e o que ainda precisa ser pago. Também é possível criar metas e orçamentos, gerar gráficos fáceis com informações detalhadas e realizar um planejamento financeiro poderoso.

7. Troque dívidas caras por outras mais baratas

Outra dica importante para quem está endividado é trocar as dívidas caras por outras mais baratas. Quem está enrolado com o cheque especial, por exemplo, pode fazer um empréstimo consignado, quitar a dívida do cheque especial e ir pagando de forma mais suave o crédito consignado. Com essa atitude, troca-se uma dívida com juros altíssimos por outra com juros bem menores.

Essa substituição influencia muito no pagamento de juros mensais e, consequentemente, dá um alívio nas contas do mês. Dessa forma, é possível separar um valor por mês para poupar.

8. Tenha objetivos e estabeleça uma quantia para poupar

Definir objetivos para a poupança é muito importante para não perder o foco durante o processo. Tenha bem claro qual é o propósito de se fazer o esforço de poupar. Comprar um carro, fazer uma viagem ou dar entrada na casa própriasão alguns exemplos. Mas, deixe esse objetivo bem claro e detalhado na sua cabeça.

Após a definição do objetivo, destrinche-o em metas menores. Divida a meta de alguns anos de poupança em objetivos mensais. Isso torna mais fácil mensurar se você está caminhando para perto de atingi-los ou se precisa fazer algum ajuste.

9. Escolha como vai guardar o dinheiro


Quando já se tem um valor mensal para poupar, é importante definir onde aplicar esse dinheiro. Escolher um bom destino para a quantia é importante, em primeiro lugar, para proteger a poupança da deterioração do poder de compra.

A inflação de todo mês tira parte do poder de compra do dinheiro. Se você não se proteger dela, sua poupança pode ter um valor nominal maior ao fim do período de investimento, mas esse valor não vai ser suficiente para comprar a mesma quantidade de coisas que você esperava quando começou a aplicação.

Em segundo lugar, os juros compostos vão te auxiliar no esforço de poupança.

Um investimento de renda fixa vai ajudar muito a elevar o montante poupado, porque a aplicação de juros sobre juros funciona como um reinvestimento dos ganhos e do montante para a aplicação dos juros do próximo período. Isso acontece período a período — de mês a mês, por exemplo.

Você pode optar pela caderneta de poupança, pelo CDB (Certificado de Depósito Bancário), pelo Tesouro Direto ou até por fundos de investimentos. Essas aplicações são consideradas mais seguras. Mas, há também a bolsa de valores, que pode proporcionar ganhos ainda maiores, contudo sob um risco de perda mais elevado.

10. Aumente a renda por meio de um talento rentável

Os gastos nem sempre são o único problema. As receitas também influenciam em uma situação financeira ruim. Por vezes, os ganhos não são suficientes para cobrir as despesas essenciais e ainda permitir alguma poupança. Outro caso é quando o valor que sobra para poupar é muito pequeno e se deseja aumentar o saldo positivo. Nessas situações, uma boa alternativa é buscar por alguma renda extra.

Descubra algo que você faça bem e que possa gerar dinheiro. Busque uma solução financeira nos seus talentos e aptidões. Se você sabe costurar, pode começar a fazer reparos para os amigos. O marketing boca a boca vai trazer mais clientes e, com isso, vai ser possível aumentar a sua renda.

Você também pode trabalhar com pequenos consertos de casa se entender bem do assunto. Trocar um chuveiro, montar móveis e instalar eletrônicos podem ser uma saída para aumentar sua renda. Mas, muito cuidado para não cair na conversa fiada da internet que promete renda extra de forma fácil e rápida!

Economizar dinheiro não é tão complicado quanto pode parecer. Acredite! Sonhe, busque, poupe e realize.


Fonte: Mobills